Quanto mais amplo e claro, melhor

1

Desde que o estilo loft de morar passou a fazer parte dos hits do momento, colocar paredes abaixo a fim de ganhar espaço tornou-se quase uma regra na hora de reformar uma casa ou um apartamento pequeno. Para além de conquistar metros quadrados a mais, a prática da integração é capaz de trazer benefícios estéticos e estilísticos. E foi exatamente isso que o estúdio Egue y Seta quis evidenciar ao operar um bem-vindo retrofit em uma casa de 300 m² em Benicassim, cidade espanhola que fica na costa Valenciana.

Daniel Pérez e Felipe Araujo, arquitetos fundadores do escritório, se uniram à Concha Cubillo e Leire Zafra para dar origem a um espaço amplo e interligado que apenas dá indícios de divisões de cômodos através dos materiais escolhidos e das alturas dos tetos – que têm seus detalhes ressaltados pelo projeto luminotécnico. Tudo começa pela reformulação do jardim –que forma um cinturão verde ao redor da residência, da piscina e da varanda –, perfeitamente visível dos interiores graças às enormes vidraças que se abrem para o lado de fora.

2

 

Tal recurso, inclusive, foi responsável por dar vida a um dos cômodos mais refrescantes da propriedade. A sala de jantar surgiu ao ver um terraço ser fechado por janelas piso-teto. A cozinha e a sala de estar, imediatamente ligadas, também aproveitam da vista natural que penetra o ambiente. No living, a textura natural da madeira cobre as paredes e introduz aconchego e calor ao cômodo, intensificado pela presença de um sofá azul escuro, da lareira e da marcenaria que serve como módulo de armazenamento e apoio para a TV.

 

Partindo para o segundo andar, a planta se distribui ao redor de um pequeno jardim de inverno que só existe graças à transparência e luminosidade do projeto. De um lado, fica a suíte máster. Cercada por vidraças dos dois lados, ela se estende até uma cabeceira de madeira que leva, sem portas, para o banheiro. Na outra extremidade fica o closet, também aberto.


3

No mesmo pavimento estão os outros dormitórios que são menores na área, mas donos de grandes janelas como o principal. Para eles, foi destinado um único banheiro compartilhado no qual o verde água das paredes ganha vida ao ser iluminado pelas lâmpadas amarelas.

Ao longo de toda a morada, a continuidade visual e liberdade de movimento são mantidas pela  anexação espacial ou visual de cômodos. Quanto à estética, a proposta é equivalente: o contraste entre o industrial e o tradicional e entre o contemporâneo e o vernacular fazem as pausas necessárias para evitar a monotonia. E, claro, uma boa dose de verde deixa tudo mais interessante.

4

 

Fonte: Casa Vogue